Caro 2022,

Acabei de sentar para lhe escrever, mas nem sei por onde começar. Não acredito que 2021 já vai embora! Parece que foi ontem que eu escrevia essas linhas para saudar a chegada dele. Acho que eu deveria mesmo era escrever uma carta para o tempo pedindo para ele parar ou passar mais devagar. Mas, acho que isso não é possível. Fico então com o conselho do Lenine, “enquanto o tempo acelera e pede pressa, eu me recuso, faço hora, vou na valsa. A vida é tão rara”  e, como diz Drummond, “o presente é tão grande”, por isso, “não nos afastemos, não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas”. Vamos de mãos dadas, 2022.

E o que esperar de você? Confesso que não tenho grandes expectativas. Nos últimos 2 anos, fiquei meio enferrujada com essa história de fazer planos. Aprendi com o Akapoeta que a expectativa “possui espinhos e pode machucar” e que “nem toda expectativa dá frutos”. Mas, não posso reclamar, 2021 me trouxe muitas alegrias e é essa sensação de gratidão que eu quero vestir para receber você logo mais. Como diz o grande poeta Rumi, “use a gratidão como um manto. E esta irá alimentar cada canto da sua vida”.

Sei que você já deve estar se preparando para chegar e se não for pedir muito, gostaria que trouxesse na bagagem mais Amor, não que esteja faltando aqui em casa, mas é sempre bom ter algum sobrando, afinal: “qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura” (Guimarães Rosa).

E, por falar em amor, já vou avisando que sou dessas que acreditam que “o saber mais lindo é o da vida, da sua presença no mundo, da sua intensidade em tudo isso. E, principalmente, na crença de que aquilo que nasce no coração tem um valor enorme” (Ana Holanda).

Pode ir chegando, minha bagagem também já está pronta para a viagem que faremos em breve. E já que vamos passar um bom tempo juntos, gostaria que soubesse que “para onde vou, vai-me o coração também, que ainda não arranjei modo de o largar pelo chão” (Valter Hugo Mãe).

Com carinho, Carla Sousa

Aracaju, 15 de dezembro de 2021

Desde 2019 tenho o hábito de escrever uma carta para o ano que vai chegar e sempre conto com ajuda de escritores, poetas e compositores para encontrar as palavras certas. Nesta carta, cito nessa ordem:

  • Trecho da música Paciência de Lenine
  • Trecho do poema Mãos Dadas de Carlos Drummond de Andrade
  • Ressignificado da palavra Expectativa do Akapoeta, que está no Livro dos Ressignificados
  • Frase do poeta Rumi
  • Frase de Guimarães Rosa do livro O grande sertão veredas.
  • Frase de Ana Holanda do livro Como se encontrar na escrita.
  • Frase de Valter Hugo Mãe no livro O filho de mil homens.

Que tal escrever a sua carta para 2022? Caso escreva, não deixe de compartilhar comigo!

Boas festas e um feliz Ano Novo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s