A poesia necessária de Manoel de Barros

Um caso de amor recente. É isso que Manoel de Barros é para mim. Eu conheci os seus “inutensílios poéticos” há pouco tempo, já na fase adulta e já trabalhando com Biblioterapia. E encontrei na sua obra uma potência única.

Os poemas de Manoel de Barros são doses que espantam pela singeleza, que despertam a imaginação, acordam nossa criança interior e convidam a ver beleza nas coisas pequenas, ou como o poeta gosta de dizer, nas “insignificâncias”.

Na escola, eu nunca ouvi falar sobre Manoel de Barros, nunca tive contato com sua obra. E percebi que mesmo entre muitos de nós adultos leitores ele ainda é um desconhecido. Fico me perguntando por quê. Por que abafaram a sua voz de menino? Talvez tenham levado muito a sério os “inutensílios poéticos”, os “delírios verbais” e as “desimportâncias” tão proclamadas por ele. Sem saber que as maiores riquezas dos seres humanos estão exatamente aí nos descaminhos.

Mas, nunca é tarde para descobrir Manoel! E acho mesmo, que somos nós adultos que mais precisamos dar voz a esse poeta nas nossas vidas. Temos muito o que aprender com sua poesia. Entre outras coisas, Manoel de Barros nos convida a olhar as coisas e os seres pequenos e desimportantes, como ele mesmo diz nesse trecho de um poema extraído do livro Retrato do artista quando coisa:

“É um olhar para baixo que nasci tendo. É um olhar para o ser menor, para o insignificante que eu me criei tendo”

Manoel nos ensina ainda a regular nosso olhar com o das crianças, a dar “delírios aos verbos”, “deslimites” às palavras  e a descobrir que estamos rodeados de riqueza e beleza.

Em tempos de isolamento social, incertezas e medos como este que estamos vivendo, percebo que a fórmula de Manoel de Barros pode enriquecer nossa frágil existência. É tempo de vasculhar o baú da nossa imaginação e vestir nosso melhor traje de sensibilidade. E o mestre menino Manoel está aí para nos mostrar o caminho. Nunca é tarde!   

Finalizo com um convite. Se você quer conhecer e se encantar com a potência da poesia de Manoel de Barros, convido para participar da Sala de Biblioterapia que acontece na quarta-feira, dia 19/08, às 19h, pelo Zoom. Eu resolvi repetir a dose desse encontro que aconteceu na última sexta e que foi simplesmente incrível! Se você ficou de fora, agora terá a oportunidade de participar. Mas corra, as vagas são limitadas!

Clique aqui para se inscrever na Sala de Biblioterapia.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s